Avançar para o conteúdo principal

Imigração em queda


Algo está mal quando nem os imigrantes se aguetam no nosso país. Aqueles que fugiram da sua pátria em busca de uma vida melhor, são agora obrigados a fazer segunda escolha (Espanha, França, Alemanha e Bélgica).
Em 2004, por exemplo, e segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, eram 60 mil os ucranianos que viviam legalmente em Portugal, hoje não passam de 37 mil.
Os próprios portugueses estão também a emigrar, novamente, em grande escala.
Que futuro estará reservado para este Portugal? Eu ainda vou ficando, na esperança de contribuir de forma positiva. Apesar de a partida já ter estado mais longe de se concretizar.
A ver vamos.

(fonte: Revista Visão de 20 de Setembro de 2007)
(fotografia: Petrified Collection)

Comentários

Kitty disse…
Visite e, se puder, ajude:
http://astresmeninasgemeas.blogspot.com/
Obrigada
Portugal está cada vez menos atractivo para quem quer que seja.Uma nuvem cinzenta abateu-se sobre os nossos destinos.
São as condições de trabalho que se deterioram; é o SNS que não responde; é a angústia da incerteza a dominar o quotidiano da maioria das famílias. A injustiça social é gritante e os que se "aproveitam" não páram de acumular riqueza. Mas todos juntos podemos fazer alguma coisa. Há que não desistir.
NINHO DE CUCO disse…
A imigração não pára de cair porque escravo por escravo antes morrer na terra. Portugal está seco e já nada tem para dar. Espraiam-se os olhos tristes por subúrbios sujos e terras do interior abandonadas.
JOY disse…
Pergunto ? onde está a politica de imigração ? Tratamos imigrantes possuidores de conhecimentos profissionais que temos falta em Portugal como escravos em vez de os aproveitarmos para nos ajudarem a termos um pais mais evoluido, não consigo perceber porque não se aproveita e se integra como deve de ser estes imigrantes ?
NÓMADA disse…
Se as PME´s estão a falir, o pequeno comércio a agonizar, o consumo interno a diminuir que podemos nós oferecer aos imigrantes? Os portugueses eles próprios emigram porque cá não têm condições.
CRÍTICO, meu amigo, acabo de atribuir-te, no meu blogue, o prémio de VISITANTE, tu que estiveste ao pé de mim quando cheguei à blogosfera e mal sabia lidar com um blogue. Tens-me acompanhado e apoiado com os teus comentários e incentivos ajudando-me a consolidar o meu espaço. Também quero ajudar-te no teu, com a minha companhia, considerando que tens um capital social, humano e cultural para fazer uma grande obra.
Para já gostaria que continuásses a corrente que comecei e que visa incentivar o visitante a ler, comentar e compreender o espaço que visita para que cada blogue possa, com a sua distintividade, contribuir para um património comum. Nada do que fizermos terá valor se não for lido. Promovamos pois uma ampla participação.
Um abraço sempre
Boris disse…
A imigração tem sido um fenómeno muito mal acompanhado no nosso País. Tem servido para as mais ignóbeis explorações, quer a nível de trabalho quer de alojamento, para tráfico humano e para muitas outras coisas que nos envergonham. Nunca houve preocupação em integrar os imigrantes. Porra, se há tanto licenciado desempregado e com cursos na área social porque não os põem a tratar deste assunto?
Crítico disse…
Obrigado pelo apoio Silêncio Culpado. Houvesse mais tempo e certamente escreveria bem mais e ampliaria a temática.
Muito obrigado do fundo do coração.

Mensagens populares deste blogue

Alimentação consciente

Hipócrates, considerado o pai da medicina, disse: "Que o teu remédio seja o teu alimento e que o teu alimento seja o teu remédio." Mais de dois mil anos depois essa frase nunca foi tão desrespeitada como nos nossos dias. Vivemos numa época em que o fast food é lei, com todas as implicações que daí advêm não só para a saúde física do indivíduo, mas para a própria saúde financeira de cada um e do Estado. Não é preciso ser um especialista para analisar que caminhamos para uma Era de doenças relacionadas com aquilo que se come. Aliás, isso já é notório nos países mais desenvolvidos, basta olhar para o Estados Unidos da América: obesidade, diabetes, cancro, AVC, tensão alta, alergias, etc. Os médicos de clínica geral, normalmente, pouco sabem sobre alimentação, no entanto é a eles que recorre a maioria da população. Nem todos podem ou sabem como fazer para consultar um especialista em nutrição, nutricionista ou nutrólogo. A sociedade está a ficar doente, mas a questão vai muito …

Amar uns, matar os outros.

Há coisas tão simples que nos passam despercebidas.

Fomos educados numa sociedade onde é comum a chacina dos animais para nosso bel-prazer. Alguns dirão que é por necessidade, pois bem, isso é desconhecimento, ignorância. Outros dirão que é por prazer, nesse caso o problema é maior, pois para afagar o palato não se importam que um ser tão meigo e digno de vida, como o seu animal doméstico, seja brutalmente assassinado, depois de uma vida miserável de sofrimento, apenas para ele o ter no prato.

Vivemos tempos fabulosos de paz, comparando com tempos passados da nossa História, contudo há ainda um mar de gente que na correria das suas vidas nunca parou para pensar, ou nunca foi obrigado a tal, sobre aquilo que come, que esses hábitos causam sofrimento a muitos, que estão a arruinar o planeta e que ainda por cima lhes estão a dar cabo da saúde, matando-os lentamente.

Claro que é todo um negócio, e é bom para esse mercado que as pessoas continuem com os seus hábitos sem pensar muito. A pró…

Bêbados de sono

Segundo Charles Czeisler, investigador de Harvard, um período de 25 horas sem dormir, ou um descanso de apenas cinco horas por noite durante uma semana, são o equivalente a uma taxa de alcoolémia de 1g/l. Mas a verdade é que a ética do mundo empresarial exalta esses feitos. "Jamais seríamos capazes de dizer: 'Esta pessoa é um excelente trabalhador! Anda sempre bêbado!'", escreveu ele na "Harvard Business Review", em 2006.
In. Revista National Geographic Portugal, de Maio de 2010.