Avançar para o conteúdo principal

1 de Outubro - Dia Mundial do Vegetarianismo

Este vale por mil palavras:

Comentários

Pois, eu até não acho mal as boas práticas vegetarianas mas o homem é omnívoro e, por isso, em meu entender, deve comer de tudo. Mas comer moderamente e com maturidade cívica. Nos dias de hoje as práticas alimentares são na maior parte das vezes reprováveis quer do ponto de vista da saúde, quer do ponto de vista ético. Deve-se incentivar um maior consumo de frutos, vegetais, cereais e legumes mas, atenção, os seus preços são proibitivos para quem tem baixissimos rendimentos. É mais fácil as pessoas empaturrarem-se com frango, porco e peru acompanhados de massas e arroz que fazerem uma alimentação equilibrada. A alimentação vegetariana não está pois ao alcance de qualquer um.
Crítico disse…
Caro Silêncio Culpado, obrigado pelo comentário, mas devo informar que a dieta vegetariana, para além de ser das mais saudáveis, é incomparavelmente mais barata do que a alimentação omnívora.
Cumprimentos.
Eu sou meio vegetariana. Só meio. Durante muito tempo almoçava, sempre que podia, num restaurante macrobiótico. Mas como tinha muitos contactos sociais, a nível de trabalho, não podia cultivar muito tudo o que fugisse ao padrão geral.
Quanto ao preço.... o arroz, as massas integrais e outros produtos afins são mais caros. Bem sei que para ser vegetariano não é preciso ser tão selectivo mas aí podemos correr o risco de não consumirmos todos os nutrientes de que o organismo está necessitado. Ou não será bem assim?
Um abraço
NÓMADA disse…
Ora aqui está um tema que me interessa e muito.Estou sempre muito interessada em práticas saudáveis de alimentação e a evitar o sacrifício dos animais.
Gostei muito deste artigo que vem de encontro aos meus sentimentos e forma de pensar.
Crítico disse…
Silêncio Culpado, a alimetação vegetariana continua envolta em mitos, apesar de muito se ter evoluído nos últimos anos. Ainda existem muitos médicos que duvidam do vegetarianismo, mas pelo contrário, outros há, e sobretudo das novas gerações, que recomendam vivamente as dietas que excluem todo o tipo de carnes e peixes da alimentação.
Um dos mitos passa pela ideia pré concebida de que os vegetarianos têm que comer produtos integrais, sojas, tofus e afins. Nada disso, esses alimentos serão interessantes para se variar, por exemplo. Mas um vegetariano simplesmente deixa de comer carnes, de resto come de tudo. A não ser os lacto-vegetarianos que não comem ovos, ou os vegan, que não ingerem qualquer derivado de origem animal.
Logo, tal dieta é benéfica não só para a saúde (e que saúde vos garanto) como também para a carteira. Para além disso ainda se contribui para a preservação ambiental.
Se pretenderes mais informações existem vários sites. Deixo aqui alguns: http://www.centrovegetariano.org; http://www.vegetarianismo.com.br/sitio; http://www.peta.org
Espero ter sido claro, mas há tanto a dizer que é impossível transmití-lo aqui, de uma só vez.
Cumprimentos.
Crítico disse…
Cara Nómada, fico muito feliz por teres gostado do post e por também te identificares com estas ideias.
Cumprimentos.
DS disse…
Obrigado por nos informares sobre este assunto, de facto muita gente resume a ética às relações entre seres humanos, quando ela se estende muito para além disso!
Este video é forte e comovente. Foi com imagens destas que aos 14 anos eu me apercebi da barbaridade que a nossa cultura alimentar perpetua há milénios. Mesmo assim demorei 10 anos a ser 100% vegetariana, não é facil ir contra a corrente, mas vale a pena, o vegetarianismo é um mundo de sabores com a consciência limpa!
NINHO DE CUCO disse…
O vegetarianismo é uma cultura que eu não sou capaz de adoptar na íntegra. Posso moderar um pouco o consumo, sobretudo de carnes, mas não consigo abdicar a 100% dos produtos de origem animal.Em qualquer dos casos penso serem muito úteis todos estes esclarecimentos.
Tiago R Cardoso disse…
Sinceramente vou anotar os sites e vou ver o que dizem.
Já pensei no vegetariano, já coloquei a hipótese, se calhar é um assunto a aprofundar.
Crítico disse…
Olá Tiago, obrigado pela visita.
Não te arrependerás nem uma única vez se adoptares o vegetarianismo e darás um forte contribuito à humanidade.
Cumprimentos

Mensagens populares deste blogue

Alimentação consciente

Hipócrates, considerado o pai da medicina, disse: "Que o teu remédio seja o teu alimento e que o teu alimento seja o teu remédio." Mais de dois mil anos depois essa frase nunca foi tão desrespeitada como nos nossos dias. Vivemos numa época em que o fast food é lei, com todas as implicações que daí advêm não só para a saúde física do indivíduo, mas para a própria saúde financeira de cada um e do Estado. Não é preciso ser um especialista para analisar que caminhamos para uma Era de doenças relacionadas com aquilo que se come. Aliás, isso já é notório nos países mais desenvolvidos, basta olhar para o Estados Unidos da América: obesidade, diabetes, cancro, AVC, tensão alta, alergias, etc. Os médicos de clínica geral, normalmente, pouco sabem sobre alimentação, no entanto é a eles que recorre a maioria da população. Nem todos podem ou sabem como fazer para consultar um especialista em nutrição, nutricionista ou nutrólogo. A sociedade está a ficar doente, mas a questão vai muito …

Amar uns, matar os outros.

Há coisas tão simples que nos passam despercebidas.

Fomos educados numa sociedade onde é comum a chacina dos animais para nosso bel-prazer. Alguns dirão que é por necessidade, pois bem, isso é desconhecimento, ignorância. Outros dirão que é por prazer, nesse caso o problema é maior, pois para afagar o palato não se importam que um ser tão meigo e digno de vida, como o seu animal doméstico, seja brutalmente assassinado, depois de uma vida miserável de sofrimento, apenas para ele o ter no prato.

Vivemos tempos fabulosos de paz, comparando com tempos passados da nossa História, contudo há ainda um mar de gente que na correria das suas vidas nunca parou para pensar, ou nunca foi obrigado a tal, sobre aquilo que come, que esses hábitos causam sofrimento a muitos, que estão a arruinar o planeta e que ainda por cima lhes estão a dar cabo da saúde, matando-os lentamente.

Claro que é todo um negócio, e é bom para esse mercado que as pessoas continuem com os seus hábitos sem pensar muito. A pró…

Bêbados de sono

Segundo Charles Czeisler, investigador de Harvard, um período de 25 horas sem dormir, ou um descanso de apenas cinco horas por noite durante uma semana, são o equivalente a uma taxa de alcoolémia de 1g/l. Mas a verdade é que a ética do mundo empresarial exalta esses feitos. "Jamais seríamos capazes de dizer: 'Esta pessoa é um excelente trabalhador! Anda sempre bêbado!'", escreveu ele na "Harvard Business Review", em 2006.
In. Revista National Geographic Portugal, de Maio de 2010.