Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2006

Execução de Saddam Hussein

Apesar de ter sido um ditador terrível, senti compaixão por Saddam na hora em que o carrasco, num abraço eterno, coloca o laço à volta do pescoço do condenado. Não compreendo como é que o Homem, que se diz evoluído e racional, é capaz de cometer tais actos de barbárie, ceifando o direito à vida a um ser, descendo ao mesmo nível do acto que condenam.

Matadouro

Desiludido, ouço na rádio a informação de que vai abrir uma casa da morte em Viseu. Há já alguns anos que várias entidades aguardavam este momento, que agora se concretiza com a entrada de capitais belgas.
O novo matadouro terá capacidade para chacinar 10.000 animais por ano. Pobres seres, sacrificados em prol dos caprichos do homem.
Chegará o tempo em que o abate de animais será um horror idêntico ao genocídio humano.

Arrepiante

Nem tenho palavras, por isso deixo-vos ficar com as do jornal Público:

«Humanos estão a explorar mais recursos naturais do que aqueles que podem ser renovados num ano
Terra está em saldo negativo ecológico desde ontem
10.10.2006 - 09h04 PÚBLICO
Se é um consumista inato ou simplesmente gosta do conforto ocidental, preste atenção a este dado: desde ontem, a conta ecológica da Terra entrou em saldo negativo. Por outras palavras, a partir de agora e até ao fim de 2006, os seres humanos estarão a explorar mais recursos naturais do que aqueles que podem ser renovados num ano civil.O cálculo exacto do dia do ano em que a Terra passa a estar em débito ecológico é uma derivação da "pegada ecológica", que estima qual a área do planeta que cada pessoa precisa para suportar o seu estilo de vida. Outro conceito é o da biocapacidade de renovar os recursos - de uma cidade, uma região, um país ou da Terra como um todo.

Segundo os últimos cálculos da organização não-governamental Global Footpr…

11 de Setembro - a mentira

Quantas pessoas ainda acreditarão no 11 de Setembro, tal como ele nos chega via comunicação social?
Aqueles que viram o documentário 11 DE SETEMBRO: CONSPIRAÇÃO INTERNA – “LOOSE CHANGE” certamente terão uma outra opinião.
Aconselho vivamente a visualização atenta desta grande produção, que vem comprovar de uma forma credivel e fundamentada os factos que tantas vezes já passaram pelo nosso e-mail.
Até quando continuaremos a ser rebanho.

Site oficial: clique aqui
Documentário "Loose Change" clique aqui

Porquê a guerra?!

«Tempo para chorar
Um libanês chora à beira dos caixões de alguns dos seus familiares, mortos durante os bombardeamentos no sul do país e enterrados numa vala comum na cidade portuária de Tiro. Foto: Sergei Ponomarev/AP»

In: Jornal Publico On-Line

Violência

A violência não tem fim.
Quando julgamos ter-se atingido o inatingível há sempre alguém que supera todos os conceitos até então definidos de brutalidade.Quem opta pela atitude violenta não ganha, perde.

Greve de Professores

Fazer greve entre dois feriados (no caso de Lisboa, pois ontem foi dia de Stº António) parece-me bem. É de quem demonstra sentido de oportunidade e perspicácia.
É esta a classe de professores que temos, é esta a imagem que deixam transparecer. Compreendo que grande parte deles sejam trabalhadores, sobretudo os mais novos, mas existem algumas “vacas sagradas” que só prejudicam a classe realmente trabalhadora.
Da próxima vez, façam greve, mas tentem escolher um dia mais apropriado, não dêem tanto nas vistas, senhores sindicalistas. Manifestem-se com classe e não como um bando de coitados a quem só falta pedir esmola.
Só uma limpeza nos quadros trará outra dinâmica.

TV

Não vejo tv por opção há mais de três anos, e sinto que me libertei de um vício comparável ao das drogas.
Um indivíduo que se prostre durante 3 horas por dia, o que não é difícil, em frente ao aparelho, acaba por desperdiçar 90 horas mensais, ou 1095 horas anuais. Em 20 anos serão 2 anos e meio, na maior parte das vezes a absorver futilidades. DOIS ANOS E MEIO!!!
E vêm-me dizer que não têm tempo para nada...
Infelizes.

(alterações)

A partir de hoje este blog seguirá um rumo ligeiramente diferente. Da crítica pela crítica passar-se-á a uma análise construtiva dos temas debatidos. Não deixará no entanto de ser um Alerta.
O subtítulo deste será também alterado (antes: Criticas à caminhada da sociedade em direcção ao abismo; agora: Sobre a caminhada da sociedade em direcção ao abismo).