Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2009

Bronze epidérmico

Durante o século passado o bronze passou a estar na moda. Algo que nos séculos anteriores era sinónimo de escravatura ou de trabalhos forçados.
Torrar a pele, correndo o risco de sofrer de graves danos, tornou-se sinónimo de beleza, e elas, mais do que eles, fazem de tudo para ganharem uma corzinha.
Como é sabido, o que é belo hoje não o foi ontem e poderá não o ser amanhã, e esta será um das essências da moda.
Não sou contra o facto das pessoas se bronzearem, caso isso os faça felizes e consequentemente felizes os que os rodeiam. Não consigo perceber é que muitos o façam por influência externa e não pela sua própria vontade ou gosto - e não será este outro aspecto da moda?
Cada qual tem a sua beleza específica, característica, o que torna cada um tão especial. Padronizar a beleza é diminuí-la.
O branco é belo pelo tom alvo; a cor escura é magnífica pela sua textura; os loiros pelos seus cabelos cor de trigo; o ruivo pelos seus tons avermelhados. Cada qual com as suas subtilezas.
Ora, padro…

As leis fundamentais da estupidez humana (V)

A quinta lei fundamental:

A pessoas estúpida é o tipo de pessoa mais perigosa que existe.

O corolário da lei é:

O estúpido é mais perigoso do que o bandido.

Carlo M. Cipolla - Allegro ma non troppo, Edições Texto & Grafia.

A primeira lei fundamental.
A segunda lei fundamental.
A terceira lei fundamental.
A quarta lei fundamental.

O Cliente

"Eu sou o homem que vai a um restaurante, senta-se à mesa e pacientemente espera, enquanto o garçom faz tudo, menos o meu pedido.
Eu sou o homem que vai a uma loja e espera calado, enquanto os vendedores terminam suas conversas particulares.
Eu sou o homem que entra num posto de gasolina e nunca toca a buzina, mas espera pacientemente que o empregado termine a leitura do seu jornal.
Eu sou o homem que explica sua desesperada e imediata necessidade de uma peça, mas não reclama quando a recebe após três semanas somente.
Eu sou o homem que, quando entra num estabelecimento comercial, parece estar pedindo um favor, ansiando por um sorriso ou esperando apenas ser notado.
Eu sou o homem que entra num banco e aguarda tranquilamente que as recepcionistas e os caixas terminem de conversar com seus amigos e espera pacientemente enquanto os funcionários trocam idéias entre si, ou simplesmente baixam a cabeça e fingem não me ver. Você deve estar pensando que sou uma pessoa quieta, paciente, do ti…

A Coisa Berlusconi

Não podia deixar passar em branco o artigo que José Saramago escreveu recentemente no jornal espanhol El Pais: A Coisa Berlusconi.
"Esta coisa, esta doença, este vírus ameaça ser a causa da morte moral do país de Verdi se um vómito profundo não conseguir arrancá-la da consciência dos italianos antes que o veneno acabe por corroer-lhes as veias e destroçar o coração de uma das mais ricas culturas europeias."

Par ler o texto na integra aceda ao blog do autor O Caderno de Saramago.

Sem papas na língua.

HOME - dia 5 de Junho

Dia 5 de Junho, Dia Mundial do Ambiente, dar-se-á um acontecimento impar em prol do planeta terra. Pegando na ideia do livro A Terra Vista do Céu, de Yann Arthus-Bertrand, elaborou-se um documentário filmado exclusivamente por via aérea, de forma a dar um panorama do planeta e do impacto da humanidade na natureza.
HOME será um grandioso evento, onde pela primeira vez um filme será exibido simultaneamente em mais de 50 países. O documentário estará disponível, no dia 5, nos cinemas, na televisão, em dvd, e na Internet. O valor a pagar nas salas de cinema será simbólico e reverterá para campanhas ambientais; em relação ao DVD custará uns singelos € 4,99, venda exclusiva nas lojas Fnac; na Internet será completamente gratuito. O objectivo é alcançar a maior audiência possível, de forma a sensibilizar o indivíduo e a sociedade para as suas responsabilidades para com o planeta. Filme realizado por Yann Arthus-Bertrand e patrocinado totalmente pelo grupo PPR, do qual a Fnac faz parte.

Cinemas Lu…

As leis fundamentais da estupidez humana (IV)

A quarta lei fundamental:
As pessoas não estúpidas subestimam sempre o potencial nocivo das pessoas estúpidas. Em particular, os não estúpidos esquecem-se constantemente que em qualquer momento, lugar e situação, tratar e/ou associar-se com indivíduos estúpidos revela-se infalivelmente um erro que se paga muito caro.

Carlo M. Cipolla - Allegro ma non troppo, Edições Texto & Grafia.
A primeira lei fundamental. A segunda lei fundamental. A terceira lei fundamental.