sábado, 31 de dezembro de 2011

Em 2012...

Em 2012 dizem que vai acabar o mundo, assim espero.
Que acabe o mundo do queixume, que acabe o mundo da mesquinharia, que acabe o mundo da suposta crise, que tolhe as ideias, os sonhos, e anula a esperança.
Que acabem as más línguas, os "deita abaixo", os inertes que acabem.

Que brote a coragem, que floresça a vontade, que se instale a ação diária, constante, sem pausas.
Que a palavra desistir acabe também, seja apagada do teu dicionário.
Que essa raiva que te envolve as entranhas expluda em criatividade, em expansão, em luta por um mundo melhor, raiva que diariamente grita na tua mente mas que reprimes por medo do sucesso.

--
O termo raiva acima exposto é aplicado com sentido distante de ódio, pretende-se aqui explanar aquela energia que nos move e que quando liberta pode mudar o mundo, para o bem e para o mal.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011


Todos pensam que trabalham mais do que os outros e no entanto o trabalho de todos continua a ser pouco.

sábado, 5 de novembro de 2011

A vida urge

De visita à aldeia, para ver a família, uma breve passagem pelo cemitério, neste dia simbólico dos finados. Então, apercebo-me que a vida é demasiado curta, ao ver os rostos na típica fotografia daqueles que ainda ontem estavam entre nós e que hoje já partiram.

A vida urge, não há tempo a perder.
Não há tempo a perder mesmo para aqueles que realizam, quanto mais para aqueles que sentem que não estão a realizar. Para estes a vida é sufocantemente curta.

Não há tempo a perder. Há que agir, há que produzir, há que viver e sobretudo sorrir. Sorrir com sinceridade, um sorriso aberto, que estampe no rosto as vivências de cada minuto, de partilha com amigos, família, colegas. Fazendo por construir e não destruir. Criar, levar algo mais além. Melhorando-se como ser humano e não ficando por aí, transmitindo algo positivo a quem nos rodeia, e assim, ao ensinar aprendemos e ao aprender ensinamos.

A vida urge, a vida é curta, mas mais curta é se não é vivida.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

sábado, 11 de junho de 2011

Auto Superação

Scott Jurek é um dos melhores ultramaratonistas de todos os temos. Retrato-vos aqui um episódio "arrepiante" que representa a auto-supreção plena de um ser humano.
Quando pela primeira vez Scott foi correr a ultramaratona de Badwater todos estavam na expectativa de como iria reagir este ultracorredor num cenário desconhecido, numa prova em que a temperatura média do ar anda pelos 50 graus e o solo chega a ter a temperatura de 93 graus, ao ponto de terem que correr sobre as linhas brancas da estrada, para não derreterem as solas.  A distância são meras 135 milhas, cerca de 217 quilómetros.
"Ao quilómetro 100, Scott vomitava e tremia. As mãos caíram-lhe para os joelhos, e depois os joelhos caíram-lhe no asfalto. Deixou-se ficar na berma da estrada, deitado nos seus próprios suor e cuspo." 
A sua companheira e a equipa de apoio não o ajudaram, pois "sabiam que não havia voz mais convincente no mundo do que a que estava dentro da mente de Scott."
Pensou como tudo era inútil, não ia nem a meio. O vento quente fazia-lhe parecer que corria dentro do escape de um motor a jacto.
Não é possível, dizia Scott a si mesmo. Estás acabado. Vou precisar de fazer algo completamente do outro mundo para ganhar agora.
Do outro mundo como?
Como começar do início. Como fingir que acordaste agora de uma grande noite de sono, e que a corrida ainda não começou. Tinhas de correr os próximos 120 quilómetros mais depressa do que alguma vez correste 120 quilómetros na tua vida.
Durante 10 minutos, Scott ficou deitado como um cadáver. Depois levantou-se e ganhou, estilhaçando o recorde de Badwater com o tempo de 24h36.

Recomendo a leitura do livro: Nascidos para correr, de Christopher Mcdougall.
Site oficial do ultramaratonista Scott Jurek.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Infeliz amigo

Infeliz aquele que se diz amigo, mas que na realidade não passa de um mero conhecido. Infeliz, pelo facto de na sua ausência não se aperceber da beleza da partilha descomplicada, do amor que flui no gesto amigo, descomprometido. Infeliz, por reprimir o sorriso àqueles que seriam os primeiros a retribuí-lo. Infelizes, por procurarem em parte incerta a felicidade.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Simplicidade desfocada

Quanta simplicidade poderia ser explorada e que nos passa ao lado. Quantos momentos simples e belos deixamos de apreciar. Quanta beleza nos passa à frente dos olhos desfocados, visão turva provocada pela ansiedade de querer abraçar todos os projectos que nos chegam e que no final de contas nenhum é levado a cabo com consciência plena e realização.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Felicidade

A felicidade de um indivíduo está relacionada com as condições e vivências do seu passado. Não se pode, portanto, exigir a uma pessoa que seja feliz ou que é fácil sê-lo, quando a pessoa que o afirma não teve o mesmo passado, o mesmo percurso, as mesma vivências, por vezes traumatizantes desde a infância. Há que haver essa compreensão. Não querendo com isto dizer que se deva desistir do caminho da felicidade, esse é o único caminho. E ela costuma estar nas coisas mais simples.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Portugal é um paraíso

Temos um Sol maravilhoso.
Gente bonita, capaz, e que realmente realiza quando a tal se propõe.
Nos últimos 200 anos não houve sismos relevantes, nem maremotos.
Não há violência terrorista.
Não temos centrais nucleares.
Temos mais de 800 anos de História.

Só falta um pouco de auto-confiança, reclamar menos e fazer mais. Mudar-se a si, deixando de se achar um coitado por pensar que os outros é que têm, os outros é que ganham, os outros é que são bem sucedidos.
Há que ser exemplo!

Não espere a mudança sentado.
Se gosta do seu país levante-se e faça, caso contrário emigre não precisamos de si! Aliás, são os que permanecem sem nada fazer que mais reclamam.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Se só contares contigo não te desiludirás com os outros. Assim, o que deles advier não será um facto adquirido e será recebido com prazer.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A magia da vida

A magia da vida que nos passa entre os dedos.
A beleza arrebatadora de um sorriso sincero que passamos a ver como comum.
As palavras doces que nos dirigem e que já não notamos.
O embrutecimento dos sentidos, como causa da azáfama do dia-a-dia, pela falta de disciplina em pararmos e olharmos à nossa volta, vendo com olhos de ver que o mundo continua aqui, não vai a lado nenhum, e que a loucura da pressa só nos fará chegar mais tarde.

Companhias na caminhada da vida

Durante a nossa vida muitos são aqueles com os quais temos a honra e o prazer de partilhar. Alguns caminham ao nosso lado pouco tempo, contudo deixam uma agradável recordação no nosso intimo. Outros acompanham-nos por um período mais longo e deles temos agradáveis memórias, e ao deixá-las desabrochar um esboço de sorriso começa a florir no nosso rosto. Mas há quem nos acompanhe a vida inteira, ou numa grande parte dela, e por vezes é a esses que menos atenção damos.
Há os pais que nos querem muito e que não nos vêem nem ouvem dias seguidos, por andarmos atarefados nas nossas vidas, buscando o sucesso e a felicidade. Há os irmãos que são os nossos primeiros amigos e que sentem uma ligação profunda, mas que pela mesma razão só os vemos com pouca frequência. Há os companheiros, os amigos íntimos, que gostam de comunicar, de transmitir, de ajudar, mas que comummente não nos encontram.

Feliz daquele que têm essa consciência e que valoriza o que de mais especial o ser humano tem, a amizade, o companheirismo, o carinho que se transmite pela palavra e pelo olhar presente.

Urge não deixar para amanhã, pode ser tarde demais.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Mexa-se

Porque a vida vale a pena ser vivida intensamente, o que não é o mesmo que grandiosamente, como de forma errada muitos pensam ser onde mora a felicidade.

Acredite nas suas potencialidades e auto supere-se diariamente, pois creio ser uma das chaves do sucesso.

E não espere pela sorte, pois esta é o resultado do trabalho e da dedicação.
E nunca se esqueça que enquanto houver brilho nos olhos haverá chama no coração.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Liberta-te

Comedido pelas notícias da crise, Alberto sentia-se abaixo das suas capacidades, agrilhoado pela comunicação social que veiculava a toda a hora informações sobre desemprego, empresas na falência, problemas sociais, corrupção política, criminalidade, entre outros males desta nossa sociedade.
Um incauto que não conheça o mundo real e se baseei somente nas notícias julgar-se-á a viver a ferro e fogo.
Em contrapartida, Roberto não via notícias, nem tão pouco tinha televisor. E era feliz!
Vivia a vida, sorria para as pessoas com quem cruzava o olhar. Apreciava o céu azul sempre que este se lhe revelava, e quando assim não era, encontrava também magia no cinza das nuvens.
Todos os ditos problemas lhe passavam ao lado por uma simples razão, ele não os alimentava, contribuindo para esse estado insano da maioria.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Brilham estrelas no negro céu. Por muito escuro que este esteja os pequenos pontos acabam sempre por ser mais relevantes que a imensidão do breu.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Batalha pela causa

Ergueram-se lentamente, à medida que a luz solar nascia lá longe, elevando-se da linha do horizonte. No lusco-fusco conseguiam vislumbrar, ao fundo, as hordas inimigas que se aproximavam confiantes.
Um campo vasto, negro, que agora recebia a primeira luminosidade, revelava movimentações frenéticas na sua direcção. Um arrepio na pele fez estremecer aqueles que deste lado se encontravam, protegidos pelo morro. Inspiraram profundo e com uma coragem advinda do mais intimo do seu ser, e da nobreza da causa pela qual lutavam, elevaram-se bem alto, endireitando o tronco e elevando o braço direito, onde seguravam lanças que brilhavam como faróis de esperança.
Com um grito, assemelhando-se a um tremor da própria terra, avançaram convictos e com olhos raiados de coragem e determinação. Nesse mesmo instante, o inimigo como que estagnou a sua investida, sinal da sua abalada confiança.
Lá em baixo, em campo aberto a batalha esperava. O bem e o mal mais uma vez confrontar-se-iam.

Escrito ao som da música Rinzler, dos Daft Punk, da Banda Sonora do filme Tron.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Quando a vida nos sorri





E quando a vida nos sorri saímos para o mundo confiantes, com coragem para vencer todos os desafios, enfrentar todas as batalhas e realizar imensidões.
Quando ela se esconde de nós, ou nos faz uma cara feia, muitos acanham-se e submetem-se ao seu canto, mas nessa altura é que as reservas energéticas do teu ser se devem manifestar em todo o seu potencial, transformando a adversidade em oportunidade, semeando no solo que nos parecia árido, e ver o fruto nascer forte e suculento. Colhendo-o, e aí sim, fazer com que a vida nos sorria verdadeiramente, e com um suspiro profundo sentir prazer na nossa realização, no nosso trabalho.

sábado, 1 de janeiro de 2011

2011

Que este ano seja o início de uma nova vida que há tanto almejas, mas que ainda não conseguiste pelo facto da inércia, até então, ter sido mais forte do que a tua vontade.