Avançar para o conteúdo principal

Taxa de Acesso a Garagens


Há alguns dias tive conhecimento, através de uma circular do condomínio, que teria que efectuar um pagamento relativo à Taxa de Acesso a Garagens.
Numa primeira análise este imposto pareceu-me ridículo, pois não visa só as garagens como também abarca: pátios, armazéns, acessos a oficinas de reparação automóvel, parques de estacionamento, stands de automóveis, instalações fabris, estações de serviço e outros locais privados.
Como não podia deixar de ser esta medida tem levantado muitas críticas, pois é um imposto que cai não se sabe bem de onde. Como se já existissem poucos.
A Câmara Municipal de Gaia deixa aqui bem patente o seu típo de política "inteligente".
Que imposto inventarão a seguir?

Comentários

É um princípio assustador porque nós estamos a ser esfolados para pagar os cortes que o governo fez às autarquias. Vivo em Sintra numa moradia que até precisa de obras e a minha contribuição autárquica que era anualmente actualizada agora quadriplicou. Mais as taxas de saneamento básico, de tratamento de resíduos, etc.Estas despesas fixas disparam enquanto a maioria dos portugueses vê diminuídas as suas prestações mensais quer do trabalho quer das pensões.
Carreira disse…
Pagar...pagar...pagar...
Receber??? Zerinho!
Anónimo disse…
Isto está a ficar bonito.
NINHO DE CUCO disse…
Pois. É ver quem mais pode esfolar o Zé Povinho que já não sabe para onde há-de fugir com o aumento das taxas de juro, o desemprego, o trabalho precário e mal pago e impostos sobre impostos. Aumenta a faixa das famílias carenciadas. E como é que se resolve esse problema? Com Associações de Voluntários onde as pessoas trabalham a custo zero e vão pedir donativos nos centros comerciais e hipermercados aos pobres coitados que já não têm onde cair mortos. Conheço casos de pessoas que deram o que precisavam por terem vergonha de não dar numa abordagem ostensiva. Que raio de socialismo é este? Que modelo é que estamos a defender?
NÓMADA disse…
Quanto mais pobre está a população mais leva na cabeça com impostos e pedinchices.
joaninha disse…
Pedir... esmolar... bem, é mesmo nosso!!! mas pior é obrigar a pagar o que não se usa ou gasta... e nisso somos especialistas... digo que somos, porque de uma maneira ou de outra pagamos todos e vai que não vai, há muitos que pedem...
Gostei muito deste Blog, onde cheguei pelo Clube dos Pensadores.
Vou linkar e passarei a vir cá mais vezes.
Vim só cumprimentar.
Cumprimentos. No seguimento de uma crítica colocada no meu blogue às nomeações que eu fiz, para o blogue com melhor destaque, coloco aqui a resposta que dei a essas mesmas críticas. Para consultar as críticas vão ao meu blogue, no Tema: "Ao Vosso Contributo". A minha resposta: CAROS M.M.Mendonça e C.Coelho, vão me desculpar mas acho que o português na base das minhas nomeações é explicito. Primeiro refiro que não estou no Mundo da blogosfera há muito tempo, o que quer dizer que estas nomeações se referem às minhas visitas num curto espaço de tempo. Há imensos blogues e provavelmente melhores, mas não sou juiz, nem aponto o dedo às opiniões, expressões, pensamentos, etc., que cada um tem. Fundamentalmente respeito-as e espero sempre o mesmo dos que me visitam. Por isso respeitem a minha escolha. Referi também que não menosprezando os outros, a escolha reflecte nas minhas visitas habituais no pouco tempo em que existo neste espaço. Há que respeitar o espaço de cada um, não ser egoístas e talvez usar critérios de mais humildade. A crítica deve existir mas com um pouco mais de construtivismo e não tão destrutiva. Ás vezes estas nomeações até servem para que os nomeados se apliquem mais com o objectivo de melhorar os seus trabalhos. Com o tempo espero também melhorar o meu, mas como digo, é preciso tempo e deixar florir, crescer. Temos de dar o benefício da dúvida e agradecer a existência de cada um. Ninguém é perfeito. Já dizia o outro: "Toda a planta que nasce tem de ser regada". Neste mundo da blogosfera o que pretendo é isso mesmo, regar a alma e esperar ser regado, aprender a ser uma Pessoa. Provavelmente mais tarde poderão ser vocês os nomeados, mas o que é certo é que não vejo o vosso blogue por aqui! Abraços.
Crítico disse…
Obrigado a todos pelos comentários, ao que são visita recorrente e aos novos visitantes.
Bem hajam.
Anónimo disse…
Eu por outro lado quero estacionar o meu carro e em tudo o que é canto existe uma rampa de acesso a garagem. Se não fosse pago acredito que não haveria espaço para carros estacionarem!

Mensagens populares deste blogue

Seja feliz

Para se ser saudável tem de se ser feliz.A infelicidade mina a saúde.Não, e ela não nos cai nas mãos, temos de ir à sua conquista. O mais importante é que não dependemos de ninguém, a felicidade mais pura está nas mais pequenas coisas, mas para o percebermos temos primeiro de liberar algum lixo que ocupa a nossa mente.Seja feliz, pela sua saúde!

Vem comigo

Vidas frustradas por ilusões perdidas. Vidas gastas na comiseração. Zona de conforto que aprisiona a pobre alma, sem esta conseguir a garra, o entusiasmo para quebrar o fino fio que a prende, quando ela julga ser uma pesada corrente.Frustração dirigida ao outro pelo simples facto de não saber lidar com a dor que sente, por ver a vida passar por entre os dedos.Quantos apenas vêem o abismo à sua frente e não percebem que têm asas para voar. Asas tolhidas pela ignorância, agrilhoadas pelo deixa andar que um dia vai mudar.A existência passa e quando a senhora da foice chega já é demasiado tarde para despertar e correr para os braços da profunda realização.Mata a zona de conforto e vem comigo, não vai ser fácil, mas vai ser muito gratificante. E na caminhada sorrimos como se a meta fosse apenas mais uma etapa.

Mike, o galo sem cabeça

Quantos tempo conseguirá uma galinha viver sem cabeça?
Se me fizessem essa pergunta há uma semana responderia, sem sombra de dúvidas: uns minutos, no máximo. Contudo, ao saber do que se passou no Colorado, EUA, em 1945, faz com que hoje tenha opinião diferente.
Nesse ano longínquo, Lloyd Olsen na tentativa de matar um jovem galo para o jantar não cumpriu na perfeição o serviço e o galo sobreviveu, pasme-se: sem cabeça.
A veia jugular e o troco cerebral não foram danificados o que permitiu ao bicho sobreviver.
Artigos sobre o tema foram publicados nas revistas Time e Life, e hoje em dia existem vários sites que atestam este fenómeno, como pode ver no fim deste post.
O dono do "afortunado" galináceo, com olho para o negócio, não perdeu tempo e passou a cobrar 25 cêntimos para quem quisesse ver Mike, nome que lhe fora atribuído.
Os espectáculos de rua sucediam-se e no auge do sucesso Mike ganhava 4.500 dólares por mês e valia 10.000.
Seguiu-se uma fase negra para o mundo aviário, pois…