quarta-feira, 30 de maio de 2007

Onde isto chegou e onde irá parar! O Caso Madeleine.


Não me havia ainda manifestado acerca desta questão por duas razões: primeiro porque julgo demasiada a propaganda por parte dos meios de comunicação social e segundo porque não julgo ser tema de interesse nacional por tantos dias consecutivos.
Quem diria que o desaparecimento de uma menina, por terras do Algarve, iria dar a volta ao mundo e fazer correr tanta tinta? Quantos jovens desaparecem não se dando especial ênfase a tal facto?
É compreensível que os pais e conhecidos mobilizem todos os meios para encontrar a pequena Madeleine, mas daí até se tornar um caso de interesse mundial parece-me despropositado e um grande exagero.
O facto de os progenitores serem britânicos, e médicos, fez com que a nossa habitual mordomia disponibilizasse os meios possíveis e impossíveis ao serviço de sua majestade.
Como se sentirá a mãe do jovem Rui Pedro, desaparecido há nove anos, ao ver tal aparato?
O desaparecimento da criança britânica mobilizou mais meios do que aqueles que por vezes são facultados para combater catástrofes.
Até o Papa recebeu os pais da menina. É caso para dizer: por amor de deus!

sábado, 19 de maio de 2007

A "nossa" democracia


Será que notícias destas ainda me devem surpreender?:

«Professor de Inglês suspenso de funções por ter comentado licenciatura de Sócrates

Um professor de Inglês, que trabalhava há quase 20 anos na Direcção Regional de Educação do Norte (DREN), foi suspenso de funções por ter feito um comentário – que a directora regional, Margarida Moreira, apelida de insulto – à licenciatura do primeiro-ministro, José Sócrates.

(...) o professor faz os seus comentários sobre a situação. "Se a moda pega, instigada que está a delação, poderemos ter, a breve trecho, uns milhares de docentes presos políticos e outros tantos de boca calada e de consciência aprisionada, a tentar ensinar aos nossos alunos os valores da democracia, da tolerância, do pluralismo, dos direitos, liberdade e garantias e de outras coisas que, de tão remotas, já nem sabemos o real significado, perante a prática que nos rodeia."»
Veja a notícia completa aqui: Jornal Publico

sábado, 5 de maio de 2007

10 Contributos


Num mundo que corre não se sabe bem para onde, é essencial despertar a consciência ambiental de todos os que nos rodeiam.
Continuamos, em pleno século XXI, com a sensação que o planeta é imenso e inesgotável, mas infelizmente não é.
Claro que em relação à 20 anos atrás muita coisa mudou para melhor, mas em contrapartida o nível de poluição em massa, praticado por multinacionais, tornou-se mais intenso.
Os países que se dizem evoluídos, mas que têm líderes pré –históricos, nem sequer aderiram ao protocolo de Quioto, e aqueles que o assinaram não respeitam as medidas. Vive-se pelo lucro, o ambiente pode esperar.
Os atentados que estão a ser cometidos são enormes e a maioria da população nem quer saber. “Longe da vista, longe do coração”.
Uma dica para aqueles que gostam de saber o que se passa à sua volta e não deixam que a classe política manipule aquilo em que acreditam: vejam o documentário Uma Verdade Inconveniente, do ex-candidato à casa branca norte americana Al Gore. Talvez depois compreendam o porquê de ter perdido as eleições.
Para além de verem o filme, se estiverem interessados em contribuir de uma forma mais prática seguem-se 10 passos simples, mas que em grande escala farão toda a diferença:

Mude uma lâmpada:

Substituir uma lâmpada convencional por uma fluorescente evita o envio para a atmosfera de 68Kg de dióxido de carbono (CO2), por ano.

Conduza menos:

Caminhe, ande de bicicleta, use mais transportes públicos, sempre que possível. Evitará o envio para a atmosfera de 450g de CO2 por cada Km em que não use o automóvel.

Recicle mais:

Pode poupar a atmosfera em 1088Kg de CO2 por ano, reciclando apenas metade dos materiais que usa no seu dia a dia.

Verifique a pressão dos pneus:

Manter os pneus com a pressão ideal pode fazer com que se poupe 3% do combustível.

Reduza o uso de água quente:

Aquecer água exige um enorme gasto de energia. Instale um chuveiro com baixo caudal (menos 159Kg de CO2/ano) e lave as suas roupas a temperaturas mais baixas (menos 227Kg de CO2/ano).

Evite produtos com muitas embalagens:

Se reduzir o lixo em 10% evita o envio para a atmosfera de 544 de CO2.

Ajuste o termostato:

2.º graus abaixo no Inverno e 2.º acima no Verão (menos 907Kg CO2).

Plante uma árvore:

Uma única árvore absorve uma tonelada de CO2 durante a sua vida.

Desligue os aparelhos da corrente eléctrica:

Simplesmente, desligue a TV, o Dvd, a aparelhagem; e o computador, quando não os está a usar. O Standby também gasta energia.

Encoraje os seus amigos e conhecidos a ver o documentário Uma Verdade Inconveniente.

Imagine o contributo que dará ao planeta e às gerações futuras com esta medidas. Faça as contas e veja as toneladas de dióxido de carbono que deixará de emitir, agora multiplique pelos seus conhecidos e amigos.
Acredite, é um forte contributo.

Obrigado!