segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Bush recebe Dalai Lama


Fiquei surpreendido ao saber que o presidente norte americano havia recebido oficialmente o líder espiritual tibetano, na sua residência oficial, a Casa Branca. E como se isto não bastasse para "nos" envergonhar, ainda foi condecorado com a Medalha de Ouro do Congresso, a mais importante distinção atribuída a um civil. Para a sua atribuição é necessária uma maioria de dois terços do congresso.

Nunca pensei dizê-lo, mas desta vez o Presidente Bush merece os parabéns. Ou será já campanha republicana?!

sábado, 20 de outubro de 2007

O Espectro do Estado Novo


Nunca se falou tanto em materia relacionada com o Estado Novo como actualmente. São livros e mais livros editados abordando a temática, desde António Oliveira Salazar de Jaime Nogueira Pinto; Os Amores de Salazar de Felícia Cabrita; Salazar de Miguel Rocha e João Paulo Cotrim; As Máscaras de Salazar de Fernando DaCosta; Vítimas de Salazar de Irene Pimentel, Luís Farinha e João Madeira; Salazar de João Medina; entre muitos outros. Será saudosismo ou um alerta para os tempos que correm e para as mentes mais esquecidas? Ou ainda uma chamada de atenção para os mais jovens que tão distantes estão do Portugal de outrora?
No próximo dia 30 será lançada outra obra da autoria de Irene Flunser Pimentel com a chancela da Temas e Debates intitulada a História da PIDE.
Sempre me debati pelo estudo da História e pela sua importância nos currículos escolares, sobretudo por julgar essencial o conhecimento do nosso passado. Há quem deteste esta disciplina, o que é certo é que com ela podem-se evitar erros cometidos e não voltar a realidades degradantes para o ser humano.
Para os que já se esqueceram dos atentados cometidos contra a liberdade recomendo-lhes a leitura do livro de António Costa Santos, Proibido, da editora Guerra e Paz. Nele o autor aborda humoristicamente alguns casos que hoje não passaria pela cabeça de niguém (digo eu).
Sabia que para usar isqueiro tinha que possuir uma licença do Estado? Que as mulheres para viajarem para o estrangeiro necessitavam de uma autorização escrita do marido? Que "o beijo na boca era classificado como um acto exibicionista atentório da moral. Levado para a esquadra, ou para o posto da GNR, o deliquente beijoqueiro era identificado, autuado em pelo menos 57 escudos, e passava invariavelmente pela cadeira do agente-barbeiro, de onde saia de cabeça rapada, máquina zero."
Não posso ainda deixar de transcrever as coimas que eram aplicadas a quem não respeitasse a portaria n. 69035 da Câmara Municipal de Lisboa, datada de 1953, e que incumbia os agentes da autoridade e guardas florestais de "uma permanente vigilância sobre as pessoas que procurem frondosas vegetações para a prática de actos que atentem contra a moral e bons costumes".
O artigo 48.º deveria ser desta forma cumprido:
"1.º - Mão na mão 2$50
2.º - Mão naquilo 15$00
3.º - Aquilo na mão 30$00
4.º - Aquilo naquilo 50$00
5.º - Aquilo atrás daquilo 100$00
6.º - Parágrafo único - Com a língua naquilo 150$00 de multa, preso e fotografado."

Fico feliz por viver nesta época e não admito que um ser humano atente contra a liberdade de outro.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A loucura continua


No tempos idos de Outubro de 2003, escrevi neste blog o texto intitulado "É Natal". Nada de anormal se não tivesse sido escrito a 28 de Outubro. Hoje volto à vaca morta para vos dizer que quatro anos depois a situação mantém-se: montras de natal em Outubro.
O estabelecimento comercial que há dois pares de anos me levou a escrever o post foi o mesmo que agora me motiva a voltar a publicar o mesmo texto, para aqueles que na altura não o leram.
Se bem que a maleita não parace ter crescido, acho um absurdo tal acto, ainda para mais num altura como esta, em que o sol ainda nos vai brindado com os seus calorosos raios estivais. Só faltava colocarem o pai natal de fato de banho.

Aqui fica:

"É Natal!!!

Chegou finalmente a época natalícia. Os corações desabafam, a solidariedade é despejada a jorros e a alegria emana de todas as almas.
Mas... Não estamos ainda em Outubro? Natal em pleno Outono?
Infelizmente, assim é, o consumismo manda. Qualquer indivíduo mais desatento ao calendário poderia confundir a presente temporada com a altura natalícia, bastando para tal uma breve visita a um centro comercial das grandes cidades. É ver montras enfeitadas com vistosas árvores, efeitos dourados, encarnados, prateados, enfim de todas as cores e feitios.
Pergunto a mim mesmo: o que vai na cabeça desta gente? Será que perderam a noção do tempo? Ou será a “crise” que obriga à antecipação dos acontecimentos?
Natal antes do São Martinho quem diria!? Já me estou a ver a saborear umas castanhas assadas acompanhadas com uma fatia de bolo-rei.
As tradições já não são o que eram, isso já nós sabemos, mas uma coisa é a tradição modificar-se ao longo do tempo, outra é submeter o próprio tempo em relação ao consumismo desenfreado.
A cegueira que para aí anda!!!"

(fotografia: Digital Vision)

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Desilusão


Recentemente, a tão aclamada atleta norte-americana Marion Jones brindou-me com um balde de água fria, quando ao ler uma notícia fiquei atónito por saber que a poderosa velocista, imbatível nos finais da década passada e início desta, tomava substâncias dopantes.
Nada que me surpreenda em atletas de topo, onde para se atingir determinadas metas ou se é um fora de série, um prodígio, ou então só com um empurãozinho da química.
Muitos outros têm sido apanhados nas malhas do doping, já sem surpresa para mim, mas a Marion Jones era especial. Pois quando nos meus tempos de atletismo a via correr era uma autêntica fonte de inspiração, até porque fazia as mesmas modalidades: 100m; 200m e 4 x 100m.
É pena que o poder, a ânsia de glória, sejam mais fortes do que a seriedade.
Quando o desporto, no geral, se torna um negócio, os atletas são simplesmente peças em cima do tabuleiro.

Nota: Na fotografia, Jogos Olimpicos de Sydney, vitória nos 100m.

(fotografia: Tony Feder)

domingo, 7 de outubro de 2007

Sem comentários

Hoje de manhã, depois de uma breve saída, ao entrar em casa vi em cima do muro junto à porta esta publicidade.



Eu diria: "obrigado por se estar a matar".

Nota: nada tenho contra a marca acima referênciada, apenas me servi do panfleto que atrás faço referência.

Myanmar: Human Rights Now


Pró-democracia
Uma mulher participa numa manifestação realizada hoje, no centro de Bruxelas, de apoio à oposição pró-democrática birmanesa. A União Budista Internacional vai promover na próxima segunda-feira no Marquês de Pombal, em Lisboa, uma vigília de solidariedade para com a luta do povo birmanês.
Foto: Yves Herman/Reuters

(In
Público On-Line)

sábado, 6 de outubro de 2007

Porque mais vale rir do que chorar


Após algumas visitas ao blog Cartoonices não podia deixar de vos convidar a fazer-lhe uma visita. Vale a pena, até porque nesta vida mais vale rir do que chorar.

Parabéns Cartoonices.