sexta-feira, 25 de novembro de 2011


Todos pensam que trabalham mais do que os outros e no entanto o trabalho de todos continua a ser pouco.

sábado, 5 de novembro de 2011

A vida urge

De visita à aldeia, para ver a família, uma breve passagem pelo cemitério, neste dia simbólico dos finados. Então, apercebo-me que a vida é demasiado curta, ao ver os rostos na típica fotografia daqueles que ainda ontem estavam entre nós e que hoje já partiram.

A vida urge, não há tempo a perder.
Não há tempo a perder mesmo para aqueles que realizam, quanto mais para aqueles que sentem que não estão a realizar. Para estes a vida é sufocantemente curta.

Não há tempo a perder. Há que agir, há que produzir, há que viver e sobretudo sorrir. Sorrir com sinceridade, um sorriso aberto, que estampe no rosto as vivências de cada minuto, de partilha com amigos, família, colegas. Fazendo por construir e não destruir. Criar, levar algo mais além. Melhorando-se como ser humano e não ficando por aí, transmitindo algo positivo a quem nos rodeia, e assim, ao ensinar aprendemos e ao aprender ensinamos.

A vida urge, a vida é curta, mas mais curta é se não é vivida.