Avançar para o conteúdo principal

Onda de Assaltos


Ultimamente o número de assaltos tem vindo a aumentar no nosso país, seja a instituições bancárias, ourivesarias, ou outros estabelecimentos de valores. Não só o seu número aumentou como também subiu o índice de violência praticado nos mesmos.
Num pais que muito há de terceiro mundista não é de admirar que assim seja e que o descontentamento se possa também reflectir nestas atitudes extremas.
Compare-se um país evoluído, por exemplo a Finlândia, ou a Noruega, com um país subdesenvolvido, como a Colômbia ou a Venezuela. O índice de criminalidade é esmagadoramente superior nas regiões carentes. E quando digo carente refiro-me à economia, saúde, educação, emprego, direitos humanos, etc.
A violência é proporcional à cultura de um país. Mas para se atingir o grau cultural desejado tem que haver o que comer, empregos, respeito pelos direitos humanos, segurança, um bom sistema de saúde, entre outros.
E onde se situa Portugal no meio disto tudo? Com uma classe politica mal formada e agarrada a tachos.
Esta onda de assaltos violentos reflecte, na minha opinião, a situação do país, o descontentamento para com as políticas seguidas e consequente desrespeito pelo Zé-povinho.

(fotografia: Daniel Allan)

Comentários

Assino por baixo. É exactamente assim que eu penso.As tensões sociais, a extremas desigualdades e a ausência de soluções para os problemas serão geradores de violência a todos os níveis. E não é com o reforço policial, embora necessário dadas as circunstâncias, que os problemas se resolvem.Os países nórdicos são uma referência mas o governo actual cada vez se afasta mais desse modelo ao ir assassinando o Estado social.
ATL disse…
Dias piores virão.
A crise económica associada à incapacidade das forças de segurança geram uma bomba relógio pronta a explodir.
Isto são apenas pequenos indícios do que poderá vir a suceder.
Carreira disse…
Dias piores virão.
A crise económica associada à incapacidade das forças de segurança geram uma bomba relógio pronta a explodir.
Isto são apenas pequenos indícios do que poderá vir a suceder.
Anónimo disse…
Acho que prova disso é a alguma simpatia que o povo tem pelos assaltantes de bancos.
Anónimo disse…
E quando a fome apertar, mata-se para comer!
Negros dias estão a chegar...

Mensagens populares deste blogue

Caixa de Pandora, do bem.

Mudar de hábitos, por tomada de consciência, torna-se uma demanda de progressão sem fim. O que em certa medida é ótimo, pois é sinal que estamos a aprimorar, mas que muitas vezes gera conflito social, num círculo mais próximo com a família, num círculo mais alargado com os demais colegas e conhecidos. A mudança para uma alimentação vegana tem, maioritariamente, como principal motor a ética animal, o apercebermo-nos que não necessitamos de viver com base no sofrimento dos outros, que esses outros não têm de morrer, torturados de forma macabra, para que nos possamos alimentar dos seus músculos, vísceras e orgãos internos, ou usarmos as suas peles. Após o momento em que se decide mudar a alimentação por questões éticas é um não volta atrás. Já as mudanças por razões de melhoria da saúde muitas vezes têm um volte face, e quem se apregoava vegetariano vem alguns meses ou anos depois dizer que voltou a comer carne, seja qual for a desculpa que achou mais conveniente. Apesar de alguns adota…

Quo vadis

Esta época de festas, de família, de amizade, de reencontros, de fim de ano, é a altura ideal para refletir sobre o que realmente queremos e o que realmente somos. Se estamos no caminho certo, naquela caminhada que pretendemos trilhar rumo a um futuro risonho para nós e para os  outros, ou se meramente estamos a curtir o momento e a saborear o dia-a-dia sem querer pensar em responsabilidades.

Fica o desafio para os corajosos, claro!


Tabaco

O fumo é um dos grandes males da nossa sociedade. Um ato, como tantos outros, que pelo prazer gerado debilita gravemente a saúde do fumante. Em tempos era visto como mais uma forma de sociabilizar, fumar era chique, ou apenas estava na moda. Mas com o evoluir dos estudos logo se percebeu que era muito prejudicial à saúde. Se os jovens até aos anos 50, ou 60, não tinham muita informação sobre esse facto, nas últimas décadas todos sabem que fumar é mau, muito mau para a saúde. Segundo o relatório recente do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo, morre uma pessoa a cada 50 minutos, em Portugal, devido ao tabaco. Só estes números já deveriam dar muito que pensar. Evidentemente que quem fuma não quer pensar nisto, óbvio, e prefere recordar aquele familiar ou conhecido que fumando viveu até aos 100 anos. Mas a realidade está aí, basta querer vê-la. Há muitos fumadores que lutam diariamente para deixar o vicio, outros há que não querem saber, para eles é o viver cada di…