quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Liberta-te

Comedido pelas notícias da crise, Alberto sentia-se abaixo das suas capacidades, agrilhoado pela comunicação social que veiculava a toda a hora informações sobre desemprego, empresas na falência, problemas sociais, corrupção política, criminalidade, entre outros males desta nossa sociedade.
Um incauto que não conheça o mundo real e se baseei somente nas notícias julgar-se-á a viver a ferro e fogo.
Em contrapartida, Roberto não via notícias, nem tão pouco tinha televisor. E era feliz!
Vivia a vida, sorria para as pessoas com quem cruzava o olhar. Apreciava o céu azul sempre que este se lhe revelava, e quando assim não era, encontrava também magia no cinza das nuvens.
Todos os ditos problemas lhe passavam ao lado por uma simples razão, ele não os alimentava, contribuindo para esse estado insano da maioria.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Brilham estrelas no negro céu. Por muito escuro que este esteja os pequenos pontos acabam sempre por ser mais relevantes que a imensidão do breu.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Batalha pela causa

Ergueram-se lentamente, à medida que a luz solar nascia lá longe, elevando-se da linha do horizonte. No lusco-fusco conseguiam vislumbrar, ao fundo, as hordas inimigas que se aproximavam confiantes.
Um campo vasto, negro, que agora recebia a primeira luminosidade, revelava movimentações frenéticas na sua direcção. Um arrepio na pele fez estremecer aqueles que deste lado se encontravam, protegidos pelo morro. Inspiraram profundo e com uma coragem advinda do mais intimo do seu ser, e da nobreza da causa pela qual lutavam, elevaram-se bem alto, endireitando o tronco e elevando o braço direito, onde seguravam lanças que brilhavam como faróis de esperança.
Com um grito, assemelhando-se a um tremor da própria terra, avançaram convictos e com olhos raiados de coragem e determinação. Nesse mesmo instante, o inimigo como que estagnou a sua investida, sinal da sua abalada confiança.
Lá em baixo, em campo aberto a batalha esperava. O bem e o mal mais uma vez confrontar-se-iam.

Escrito ao som da música Rinzler, dos Daft Punk, da Banda Sonora do filme Tron.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Quando a vida nos sorri





E quando a vida nos sorri saímos para o mundo confiantes, com coragem para vencer todos os desafios, enfrentar todas as batalhas e realizar imensidões.
Quando ela se esconde de nós, ou nos faz uma cara feia, muitos acanham-se e submetem-se ao seu canto, mas nessa altura é que as reservas energéticas do teu ser se devem manifestar em todo o seu potencial, transformando a adversidade em oportunidade, semeando no solo que nos parecia árido, e ver o fruto nascer forte e suculento. Colhendo-o, e aí sim, fazer com que a vida nos sorria verdadeiramente, e com um suspiro profundo sentir prazer na nossa realização, no nosso trabalho.

sábado, 1 de janeiro de 2011

2011

Que este ano seja o início de uma nova vida que há tanto almejas, mas que ainda não conseguiste pelo facto da inércia, até então, ter sido mais forte do que a tua vontade.