Avançar para o conteúdo principal

Reflexão


Imaginemos que toda a carne que chega ao prato tivesse que ser manuseada, desde a sua origem, pelo próprio consumidor. Que repercussão teria tal facto no acréscimo de vegetarianos?
Ao olhar para o naco de carne, temperado, o cérebro bloqueia as fases pela qual terá passado até ali chegar, como se um bife nunca tivesse sido outra coisa senão... um bife!

(fotografia: Mike Hill)

Comentários

Ainda bem que não nos ocorrem todas essas fases no momento de saborear o bife para que o consigamos comer com prazer. Mas se deixarmos de comer carne comemos outros seres vivos. Mesmo os vegetarianos matam os insectos que atacam as suas plantas. É a lei da vida. Porém o que é importante é que os humanos não matem mais do que o necessário à sua sobrevivência e recusem a febre predadora que leva à destruição de espécies para alimentar negócios injustos.
António Sabão disse…
UI, nem penso nisso :-) Adoro um bom bife, até me está a crescer água na boca :))))
DS disse…
É um tema muito delicado, pois tanto os consumidores de carnes como os vegetarianos sentem necessidade de defender a sua postura. Uns desculpam-se, outros acusam, mas cabe ao sentido de ética de cada um decidir a sua atitude. O que eu defendo é que não há uma atitude "natural", o homem é livre no seu pensamento e portanto livre nas suas escolhas.
Anónimo disse…
E nos restaurantes com a refeição completa?

Mensagens populares deste blogue

Seja feliz

Para se ser saudável tem de se ser feliz.A infelicidade mina a saúde.Não, e ela não nos cai nas mãos, temos de ir à sua conquista. O mais importante é que não dependemos de ninguém, a felicidade mais pura está nas mais pequenas coisas, mas para o percebermos temos primeiro de liberar algum lixo que ocupa a nossa mente.Seja feliz, pela sua saúde!

Vem comigo

Vidas frustradas por ilusões perdidas. Vidas gastas na comiseração. Zona de conforto que aprisiona a pobre alma, sem esta conseguir a garra, o entusiasmo para quebrar o fino fio que a prende, quando ela julga ser uma pesada corrente.Frustração dirigida ao outro pelo simples facto de não saber lidar com a dor que sente, por ver a vida passar por entre os dedos.Quantos apenas vêem o abismo à sua frente e não percebem que têm asas para voar. Asas tolhidas pela ignorância, agrilhoadas pelo deixa andar que um dia vai mudar.A existência passa e quando a senhora da foice chega já é demasiado tarde para despertar e correr para os braços da profunda realização.Mata a zona de conforto e vem comigo, não vai ser fácil, mas vai ser muito gratificante. E na caminhada sorrimos como se a meta fosse apenas mais uma etapa.

O veganismo não é moda, veio para ficar!

Ouve-se por aí que 2019 é o ano do veganismo, mas é muito mais do que isso. 2019 até poderá ser o ano com mais expressão até então, mas o boom está por vir, o futuro será inevitavelmente vegan, ou não haverá futuro de todo. Não são só as estrelas de cinema, os atletas de nível mundial ou as figuras públicas, por todo o mundo há cada vez mais pessoas a adotar este estilo de vida, que vai muito além da simples alimentação. Há uma tomada de consciência larga que faz com que a mudança seja inevitável. Um ser dito lúcido e com o mínimo de inteligência basta parar e refletir sobre as suas escolhas para um processo de mudança se iniciar. Vivemos num mundo acelerado que não deixa tempo para a plena reflexão e esse é um dos problemas.
A mudança pode ter início num dos seguintes pontos:
Ética: não há nenhuma necessidade de infligir sofrimento e tortura aos animais para nos alimentarmos. Eles são seres sencientes e é um contrassenso dizer que se gosta dos animais mas é só de alguns, não de todos.
Saú…