sábado, 12 de janeiro de 2008

TGV desnecessário.


Muito se tem falado do novo Aeroporto, agora que a sua localização foi definitivamente escolhida. Mas eu vou pegar noutro assunto, que mexe na nossa bolsa e que muita tinta tem feito correr.
Num pais como o nosso, que possui o ordenado mínimo mais baixo da Europa a quinze, é inadmissível que se invistam milhões de euros num projecto como o comboio de alta velocidade.
Esses recursos financeiros não seriam melhor aplicados naquilo que realmente faz falta?
A nossa classe política sofre do mesmo mal que o cidadão comum, o consumismo. E o TGV é sinal desse consumismo, pois pretende-se adquirir algo que não nos faz falta, mas como os outros têm "nós" também queremos.
Valerá a pena tal esforço para se ganhar 15 minutos numa viagem Porto-Lisboa? Não seria preferível investir numa melhoria da linha do Alfa Pendular?
A razão pela qual o Governo e os nossos políticos seguem com este tipo de projectos é muito simples: não são eles que passam as dificuldades de uma família que vive com ordenado mínimo, portanto, podem esbanjar à vontade.

(fotografia: Andy Zito)

5 comentários:

Tiago R. Cardoso disse...

Todos os governos ao longos dos anos quiseram deixar uma marca na historia, este não poderia ser diferente, um aeroporto, uma ponte sobre o Tejo e o TGV, o problema é que será que eles ainda andaram por ai lá par 2009 ?

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigo Crítico e Tiago
Vamos por partes: o que é o TGV (Très Grande Vitesse)? Todos imaginam um comboio de Alta Velocidade em que se gastam balúrdios para poupar 30 minutos no percurso Lisboa Porto. Mas o TGV não é um comboio mas uma rede de Alta Velocidade.
Ora a rede ferroviária ibérica tem uma bitola (distância entre carris) diferente das restantes redes europeias. Espanha já está a compatibilizar-se com a rede europeia e nós não. Ficamos isolados. Os produtos de exportação perdem competitividade pelos demorados e onerosos transbordos na fronteira franco-espanhola, ou mesmo mudanças de eixos. O recurso aos camiões tem impactos ambientais extremamente negativos para além dos congestionamentos viários sobre as principais cidades. Nós somos um país periférico que morrerá por asfixia. Mais: com TGV as relações Lisboa-Madrid e mesmo Lisboa-Barcelona seriam retiradas ao tráfego aéreo e o aeroporto da Portela não estaria esgotado num horizonte próximo.
Tinha muito a dizer mas não cabe neste espaço.
Um abraço

tagarelas-miamendes disse...

O TGV? Nao me incomoda muito! Sinais do progresso. Porque nao?
Incomodou-me muito mais os Estadios de Futebol! Oh! Sim! Como doeu! Construidos com o nosso dinheirinho! Para o futebol?????!!!!!. Ainda nao estou restablecida! Mas o TGV, nao nao me incomoda nada.

quin[tarantino] disse...

Se a perspectiva for a que é defendida pela Silêncio Culpada ...

walter disse...

Venho convidar-te a tomar um copo no meu Cadeirão.