Avançar para o conteúdo principal

Allison Stokke - vantagens e desvantagens da Internet.


Chegou há poucos anos a nossas casas e aos nossos locais de trabalho e se hoje nos faltasse já não saberiamos o que fazer. Falo obviamente da "redeinternacional" ou em inglês Internet. Mas esta maravilhosa ferramenta se for usada para fins menos próprios pode ser muito incómoda. Leiam o seguinte excerto retirado do jornal on-line Portugal Diário sobre a foto que já fez correr muita tinta:

«Imagine que é uma jovem bela, estudante e de porte atlético reconhecido, fruto do intenso desporto em campeonatos regionais, mas anónima até para os vizinhos, ou talvez não.
Um dia coloca as suas fotos na Internet e de repente é famosa. As fotos, em que está com as justas roupagens de atleta, recebem milhões de comentários, alguns menos próprios: «Masturbo-me a pensar em ti». E milhares de pessoas já têm a sua foto como fundo do monitor. Como iria reagir?
Allison Stokke, a quem a descrição anterior corresponde, admitiu ao The Washington Post que está farta. A atraente estudante da Califórnia e jovem atleta de salto à vara é uma das estrelas do Youtube, tem um sítio de fãs com mais de mil pessoas registadas. E uma rápida busca do seu nome no Google apresenta mais de meio milhão de resultados.
A sua página de fãs recebeu mais de um milhar de comentários e o vídeo mais de 150 mil visitas. Uma semana depois do seu telefone não deixar de tocar, entre tentativas de fãs e jornalistas, pediu ajuda a especialistas.
É conhecida em qualquer café e tem medo.
A situação de Stokke ilustra o poder e os perigos da Internet. É conhecida em qualquer café e tem medo. Nunca fica sozinha em casa. O pai, advogado, passa as tardes na rede à procura de delinquentes sexuais interessados nela.
»

A foto que tudo despoletou é a que eu aqui vos apresento.

- A miúda é gira?
- É!
- Tem um corpo escultural?
- Têm!
- E é famosa porquê?
- Porque é gira, escultural, o click foi feito no momento certo e... existe a Internet.

Ingredientes mais do que suficientes para cativar fanáticos do mundo virtual.

E a privacidade da jovem?!



Comentários

PintoRibeiro disse…
Bom post. E o debate ainda mal começou.
Rocklândia disse…
Amigão, também gosto disto...
É claro que todas as pessoas conhecem, ou deveriam conhecer, em especial quem utiliza, os tais malifícios e benefícios da net, agora depende muito da sensibilidade, e do instinto defensivo de cada um para tentar tornear e / ou minimizar as coisas menos boas desta vida.
Aqui, no caso da miss Allison Stokke, acho que a culpa é muito dela, agora tem que se aguentar...
O mundo e a sociedade vigente, são muito crueis, por isso olho vivo e pé ligeiro.

Um abraço

Mensagens populares deste blogue

Seja feliz

Para se ser saudável tem de se ser feliz.A infelicidade mina a saúde.Não, e ela não nos cai nas mãos, temos de ir à sua conquista. O mais importante é que não dependemos de ninguém, a felicidade mais pura está nas mais pequenas coisas, mas para o percebermos temos primeiro de liberar algum lixo que ocupa a nossa mente.Seja feliz, pela sua saúde!

Vem comigo

Vidas frustradas por ilusões perdidas. Vidas gastas na comiseração. Zona de conforto que aprisiona a pobre alma, sem esta conseguir a garra, o entusiasmo para quebrar o fino fio que a prende, quando ela julga ser uma pesada corrente.Frustração dirigida ao outro pelo simples facto de não saber lidar com a dor que sente, por ver a vida passar por entre os dedos.Quantos apenas vêem o abismo à sua frente e não percebem que têm asas para voar. Asas tolhidas pela ignorância, agrilhoadas pelo deixa andar que um dia vai mudar.A existência passa e quando a senhora da foice chega já é demasiado tarde para despertar e correr para os braços da profunda realização.Mata a zona de conforto e vem comigo, não vai ser fácil, mas vai ser muito gratificante. E na caminhada sorrimos como se a meta fosse apenas mais uma etapa.

Mike, o galo sem cabeça

Quantos tempo conseguirá uma galinha viver sem cabeça?
Se me fizessem essa pergunta há uma semana responderia, sem sombra de dúvidas: uns minutos, no máximo. Contudo, ao saber do que se passou no Colorado, EUA, em 1945, faz com que hoje tenha opinião diferente.
Nesse ano longínquo, Lloyd Olsen na tentativa de matar um jovem galo para o jantar não cumpriu na perfeição o serviço e o galo sobreviveu, pasme-se: sem cabeça.
A veia jugular e o troco cerebral não foram danificados o que permitiu ao bicho sobreviver.
Artigos sobre o tema foram publicados nas revistas Time e Life, e hoje em dia existem vários sites que atestam este fenómeno, como pode ver no fim deste post.
O dono do "afortunado" galináceo, com olho para o negócio, não perdeu tempo e passou a cobrar 25 cêntimos para quem quisesse ver Mike, nome que lhe fora atribuído.
Os espectáculos de rua sucediam-se e no auge do sucesso Mike ganhava 4.500 dólares por mês e valia 10.000.
Seguiu-se uma fase negra para o mundo aviário, pois…