Avançar para o conteúdo principal

"Está tudo louco???!!!..."


«Está tudo louco???!!!... Só pode ser brincadeira!...

Almeida Santos e as faltas dos deputados:

(http://diario.iol.pt/politica/deputados-parlamento-almeida-santos/1023192-4072.html)

(http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1058362)

"Os deputados têm a sua vida profissional, não se paga aos deputados o suficiente para eles serem todos apenas deputados, sobretudo quando são profissionais do Direito ou fora do Direito. Um advogado que tem um julgamento, não pode estar na Assembleia e no julgamento ao mesmo tempo. Quanto às justificações para as faltas, é verdade que a sexta-feira é, em si própria uma justificação, porque é véspera de fim-de-semana. Eu compreendo isso. Talvez esteja errado que as votações sejam à sexta-feira. Não julguemos também que ser deputado é uma escravatura, porque não é, nem pode ser. É preciso é arranjar horas para a votação que não sejam as horas em que normalmente seja mais difícil e mais penoso estar na Assembleia da República."


Pois... pobres deputados que ganham só 3708 euros de salário-base, mais 10% para despesas de representação, entre outras regalias (ver http://www.inverbis.net/sistemapolitico/deputados-abonos-duplicam-vencimento.html)

Para qualquer trabalhador, a sexta-feira é, em si própria uma justificação para faltar ao trabalho?! Aliás, acho que tal justificação está mesmo contemplada no novo código de trabalho...

Ser deputado não pode ser uma escravatura... Escravatura é para os trabalhadores a recibos verdes, para os trabalhadores que acumulam horas em cima de horas sem a devida compensação, ou para os trabalhadores com horários tão flexíveis que não os conseguem conciliar com a vida familiar.


É, portanto, penoso estar na Assembleia da República à 6ª-feira... Pois o Sr. Dr. Almeida Santos não se apercebe o penoso que é para o vulgar cidadão ouvir frases tão deslocadas da realidade que são até ofensivas para quem, de facto, trabalha.

Luís Gonzaga Batista»


(Tive conhecimento deste texto através do amigo Miguel Gonçalves)

Comentários

Anónimo disse…
Até quando vamos nós tolerar isto? Até quando vamos nós aceitar isto? Só temos que marcar um BIG protesto, e estarmos presentes, e unidos. Se todos paramos, o país não anda! Afinal quem é que governa!?
Porra!! Estou farto disto...
Maria Antónia disse…
Sem dúvida que esta situação é uma afronta a quem, no seu dia-a-dia, trabalha arduamente para obter um mísero salário mínimo que ainda por cima, vai ser dividido por mais do que um membro familiar acrescendo a realização do pagamento de dívidas que esse agregado familiar possui. Mais grave ainda, é que somos nós que contribuímos para que esses ditos deputados, recebam os seus salários! Encontro-me extremamente indignada! São estes senhores,os exemplos de Portugal. Bom, mas sejamos optimistas, também existem exemplos contrários... talvez menos, mas têm a sua acção efectiva como exemplo. Não vou citar nomes por uma questão de preservar a minha tendência política!!! Não pretendo ser tendenciosa. :)))
Bruno Vilela disse…
Penso que na verdade eles tão pouco encaram as suas obrigações como trabalho.
Pois eles é que decidem o que fazem e quando fazem.
É muito fácil brincar à politica quando se tem muito poder, mas exercer politica e faze-lo de forma justa e correcta não é para qualquer ser vivo é só para seres humanos.
A.C. disse…
O topete da classe política, se não fosse ultrajante e vil, quase daria para rir. E o pior é que este tipo de declarações partem de um dos decanos do nosso sistema político, com a carga emblemática de a sua veterania servir, aqui, como símbolo de condescendência (e legitimação) de décadas consecutivas de uma práxis parasita, irresponsável e indecorosa da maioria dos representantes políticos da nação.

Um insulto ao português comum, aquele que cumpre horários de trabalho, que é remunerado no limiar da sobrevivência e que, pasme-se, muitas vezes até tem que trabalhar às sextas, sábados e domingos!
JOY disse…
Este tipo de discursso não me surpreende, e expressa na realidade os objectivos desta gente, ter um complemento renumerado ás suas profissões de origem sem terem de se chatear muito. Estes politicos mediocres, incompetentes,parasitas, alguns sem dúvida corruptos, já nem se dão ao trabalho de ter tento na lingua enxovalhando quem lhes paga o vencimento. Até quando vamos ter de suportar isto ?

Joy

Mensagens populares deste blogue

Alimentação consciente

Hipócrates, considerado o pai da medicina, disse: "Que o teu remédio seja o teu alimento e que o teu alimento seja o teu remédio." Mais de dois mil anos depois essa frase nunca foi tão desrespeitada como nos nossos dias. Vivemos numa época em que o fast food é lei, com todas as implicações que daí advêm não só para a saúde física do indivíduo, mas para a própria saúde financeira de cada um e do Estado. Não é preciso ser um especialista para analisar que caminhamos para uma Era de doenças relacionadas com aquilo que se come. Aliás, isso já é notório nos países mais desenvolvidos, basta olhar para o Estados Unidos da América: obesidade, diabetes, cancro, AVC, tensão alta, alergias, etc. Os médicos de clínica geral, normalmente, pouco sabem sobre alimentação, no entanto é a eles que recorre a maioria da população. Nem todos podem ou sabem como fazer para consultar um especialista em nutrição, nutricionista ou nutrólogo. A sociedade está a ficar doente, mas a questão vai muito …

Amar uns, matar os outros.

Há coisas tão simples que nos passam despercebidas.

Fomos educados numa sociedade onde é comum a chacina dos animais para nosso bel-prazer. Alguns dirão que é por necessidade, pois bem, isso é desconhecimento, ignorância. Outros dirão que é por prazer, nesse caso o problema é maior, pois para afagar o palato não se importam que um ser tão meigo e digno de vida, como o seu animal doméstico, seja brutalmente assassinado, depois de uma vida miserável de sofrimento, apenas para ele o ter no prato.

Vivemos tempos fabulosos de paz, comparando com tempos passados da nossa História, contudo há ainda um mar de gente que na correria das suas vidas nunca parou para pensar, ou nunca foi obrigado a tal, sobre aquilo que come, que esses hábitos causam sofrimento a muitos, que estão a arruinar o planeta e que ainda por cima lhes estão a dar cabo da saúde, matando-os lentamente.

Claro que é todo um negócio, e é bom para esse mercado que as pessoas continuem com os seus hábitos sem pensar muito. A pró…

Há quanto tempo...

... não contemplas com verdadeiro contemplar o que à tua volta está? Aquele sentimento de estar presente sem dispersar com solicitações, notificações. Seja a contemplar o oceano; o céu; a chuva; um inseto que por ti passa; ou o vazio. Sem aquele nervoso miudinho de ter de ir fazer alguma coisa. As tecnologias são uma maravilha, sou fã incondicional, mas contudo, e facilitando o nosso trabalho muitas vezes, também nos acrescem afazeres a toda a hora, pois o smartphone no nosso bolso não tem hora de descanso nem de contemplação e a qualquer momento nos lembra que temos mil e uma coisas para concretizar, para conquistar. E assim fomos perdendo, muitos de nós, e acredito sem dúvida que seja a vasta maioria, aquela capacidade de a qualquer momento podermos parar e contemplar algo simplesmente pelo prazer de contemplar, pelo gosto de em determinado momento o que temos melhor a fazer é não fazer nada. Até ao raiar do ano 2000 a espera era muitas vezes recheada de ampla contemplação, fosse e…