Avançar para o conteúdo principal

Sarah Palin - Quem vê caras não vê corações.


É sabido que os E.U.A têm uma forte tradição conservadora. É também sabido que é um país onde mais vozes de contestação se ouvem em relação ao estado do globo. Resumindo, é um mundo de duas faces: de um lado os poderosos conservadores, do outro os liberais, que acreditam num rumo diferente.
Nos últimos dias surgiu na cena política norte americana a governadora do Alasca, Sarah Palin, escolhida pelo candidato republicano, John McCain, para assumir a vice-presidência. Primeiramente, e apoiando-me simplesmente num registo fotográfico, o que salta à vista é a beleza e a elegância de Palin, hoje com 44 anos. Não admira portanto que aos 20 tenha ficado em 2.º lugar no concurso Miss Alasca. Contudo, numa análise ao seu percurso e currículo a beleza passa para segundo plano.
Senão vejamos. Segundo as pessoas mais próximas, familiares e amigos, ela é inabalável, nunca desistindo dos seus objectivos. Exemplo disso foi a conquista do campeonato estadual de basquetebol, pela equipa do liceu de Wasilla, que ela capitaneou, e que resolveu o último jogo fazendo um lançamento vital nos momentos finais, apesar de jogar com um tornozelo fracturado.
Palin poderá, caso McCain ganhe as eleições, vir a assumir a presidência dos Estados Unidos da América, pois McCain já tem 72 anos e alguns problemas de saúde.
Esta esbelta mulher é um verdadeiro “pitbull de bâton”, como ela própria confessa, a as suas metas políticas passam, pasme-se, pelos seguintes pontos: proibir o aborto; ensinar o criacionismo nas escolas, em detrimento da teoria da evolução; é a favor da posse de armas; e quer exercer censura sobre os livros das bibliotecas.
Outros dados de interesse: está sob investigação por abuso de poder; quis despedir uma bibliotecária por esta se recusar a retirar da biblioteca pública livros classificados como “inapropriados”; é uma fundamentalista cristã, que considera que a guerra do Iraque obedeceu a “um plano de Deus”.
Depois deste "maravilhoso" currículo é caso para dizer: quem vê caras não vê corações. Quando li estes dados pela primeira vez não queria acreditar.
Mas há mais. Esta beldade acordava às 3h da madrugada e ia caçar com o pai. Diz que continua a gostar de caçar animais grandes e que sabe esfolar e fazer hambúrgueres de alce. No seu gabinete tem uma pele de urso e respectiva cabeça do animal embalsamada.
Obama poderá também não ser quem aparenta, mas uma coisa é certa o mundo tem a ganhar se ele for eleito, caso contrário, e como diz o povo: Seja o que Deus quiser.


(fonte: Jornal Expresso de 6 de Setembro de 2008)

Comentários

Maria disse…
acho que é mais quem vê caras não vê posições politicas.
Tristeza ao quadrado. Por ser triste e por ser mulher (uma vergonha para o genero)
Anónimo disse…
Não entendi a alusão à vontade que ela tem de caçar. Queira desculpar, mas essa forma de pensar é extremamente preconceituosa e tendenciosa.
Hoje em dia, pelo jeito, ter a coragem de ter convicções inabaláveis parece ser indicativo de gente perigosa.
Todavia, Barack Obama também as tem, mas parece que ser mulher é a questão que está aqui atrapalhando uma argumentação válida.

Zé do Coco
JOY disse…
Relativamente a vice presidentes venha o diabo e escolha, a quantidade de disparates ditos pelos dois nas entrevistas é assustador, na maioria das vezes nem sabem do que que estão a falar.
tendo em conta que qualquer um deles pode vir a ser presidente da maior potência mundial dá que pensar.

Joy

Mensagens populares deste blogue

Alimentação consciente

Hipócrates, considerado o pai da medicina, disse: "Que o teu remédio seja o teu alimento e que o teu alimento seja o teu remédio." Mais de dois mil anos depois essa frase nunca foi tão desrespeitada como nos nossos dias. Vivemos numa época em que o fast food é lei, com todas as implicações que daí advêm não só para a saúde física do indivíduo, mas para a própria saúde financeira de cada um e do Estado. Não é preciso ser um especialista para analisar que caminhamos para uma Era de doenças relacionadas com aquilo que se come. Aliás, isso já é notório nos países mais desenvolvidos, basta olhar para o Estados Unidos da América: obesidade, diabetes, cancro, AVC, tensão alta, alergias, etc. Os médicos de clínica geral, normalmente, pouco sabem sobre alimentação, no entanto é a eles que recorre a maioria da população. Nem todos podem ou sabem como fazer para consultar um especialista em nutrição, nutricionista ou nutrólogo. A sociedade está a ficar doente, mas a questão vai muito …

Amar uns, matar os outros.

Há coisas tão simples que nos passam despercebidas.

Fomos educados numa sociedade onde é comum a chacina dos animais para nosso bel-prazer. Alguns dirão que é por necessidade, pois bem, isso é desconhecimento, ignorância. Outros dirão que é por prazer, nesse caso o problema é maior, pois para afagar o palato não se importam que um ser tão meigo e digno de vida, como o seu animal doméstico, seja brutalmente assassinado, depois de uma vida miserável de sofrimento, apenas para ele o ter no prato.

Vivemos tempos fabulosos de paz, comparando com tempos passados da nossa História, contudo há ainda um mar de gente que na correria das suas vidas nunca parou para pensar, ou nunca foi obrigado a tal, sobre aquilo que come, que esses hábitos causam sofrimento a muitos, que estão a arruinar o planeta e que ainda por cima lhes estão a dar cabo da saúde, matando-os lentamente.

Claro que é todo um negócio, e é bom para esse mercado que as pessoas continuem com os seus hábitos sem pensar muito. A pró…

Bêbados de sono

Segundo Charles Czeisler, investigador de Harvard, um período de 25 horas sem dormir, ou um descanso de apenas cinco horas por noite durante uma semana, são o equivalente a uma taxa de alcoolémia de 1g/l. Mas a verdade é que a ética do mundo empresarial exalta esses feitos. "Jamais seríamos capazes de dizer: 'Esta pessoa é um excelente trabalhador! Anda sempre bêbado!'", escreveu ele na "Harvard Business Review", em 2006.
In. Revista National Geographic Portugal, de Maio de 2010.