Avançar para o conteúdo principal

Sarah Palin - Quem vê caras não vê corações.


É sabido que os E.U.A têm uma forte tradição conservadora. É também sabido que é um país onde mais vozes de contestação se ouvem em relação ao estado do globo. Resumindo, é um mundo de duas faces: de um lado os poderosos conservadores, do outro os liberais, que acreditam num rumo diferente.
Nos últimos dias surgiu na cena política norte americana a governadora do Alasca, Sarah Palin, escolhida pelo candidato republicano, John McCain, para assumir a vice-presidência. Primeiramente, e apoiando-me simplesmente num registo fotográfico, o que salta à vista é a beleza e a elegância de Palin, hoje com 44 anos. Não admira portanto que aos 20 tenha ficado em 2.º lugar no concurso Miss Alasca. Contudo, numa análise ao seu percurso e currículo a beleza passa para segundo plano.
Senão vejamos. Segundo as pessoas mais próximas, familiares e amigos, ela é inabalável, nunca desistindo dos seus objectivos. Exemplo disso foi a conquista do campeonato estadual de basquetebol, pela equipa do liceu de Wasilla, que ela capitaneou, e que resolveu o último jogo fazendo um lançamento vital nos momentos finais, apesar de jogar com um tornozelo fracturado.
Palin poderá, caso McCain ganhe as eleições, vir a assumir a presidência dos Estados Unidos da América, pois McCain já tem 72 anos e alguns problemas de saúde.
Esta esbelta mulher é um verdadeiro “pitbull de bâton”, como ela própria confessa, a as suas metas políticas passam, pasme-se, pelos seguintes pontos: proibir o aborto; ensinar o criacionismo nas escolas, em detrimento da teoria da evolução; é a favor da posse de armas; e quer exercer censura sobre os livros das bibliotecas.
Outros dados de interesse: está sob investigação por abuso de poder; quis despedir uma bibliotecária por esta se recusar a retirar da biblioteca pública livros classificados como “inapropriados”; é uma fundamentalista cristã, que considera que a guerra do Iraque obedeceu a “um plano de Deus”.
Depois deste "maravilhoso" currículo é caso para dizer: quem vê caras não vê corações. Quando li estes dados pela primeira vez não queria acreditar.
Mas há mais. Esta beldade acordava às 3h da madrugada e ia caçar com o pai. Diz que continua a gostar de caçar animais grandes e que sabe esfolar e fazer hambúrgueres de alce. No seu gabinete tem uma pele de urso e respectiva cabeça do animal embalsamada.
Obama poderá também não ser quem aparenta, mas uma coisa é certa o mundo tem a ganhar se ele for eleito, caso contrário, e como diz o povo: Seja o que Deus quiser.


(fonte: Jornal Expresso de 6 de Setembro de 2008)

Comentários

Maria disse…
acho que é mais quem vê caras não vê posições politicas.
Tristeza ao quadrado. Por ser triste e por ser mulher (uma vergonha para o genero)
Anónimo disse…
Não entendi a alusão à vontade que ela tem de caçar. Queira desculpar, mas essa forma de pensar é extremamente preconceituosa e tendenciosa.
Hoje em dia, pelo jeito, ter a coragem de ter convicções inabaláveis parece ser indicativo de gente perigosa.
Todavia, Barack Obama também as tem, mas parece que ser mulher é a questão que está aqui atrapalhando uma argumentação válida.

Zé do Coco
JOY disse…
Relativamente a vice presidentes venha o diabo e escolha, a quantidade de disparates ditos pelos dois nas entrevistas é assustador, na maioria das vezes nem sabem do que que estão a falar.
tendo em conta que qualquer um deles pode vir a ser presidente da maior potência mundial dá que pensar.

Joy

Mensagens populares deste blogue

Seja feliz

Para se ser saudável tem de se ser feliz.A infelicidade mina a saúde.Não, e ela não nos cai nas mãos, temos de ir à sua conquista. O mais importante é que não dependemos de ninguém, a felicidade mais pura está nas mais pequenas coisas, mas para o percebermos temos primeiro de liberar algum lixo que ocupa a nossa mente.Seja feliz, pela sua saúde!

Vem comigo

Vidas frustradas por ilusões perdidas. Vidas gastas na comiseração. Zona de conforto que aprisiona a pobre alma, sem esta conseguir a garra, o entusiasmo para quebrar o fino fio que a prende, quando ela julga ser uma pesada corrente.Frustração dirigida ao outro pelo simples facto de não saber lidar com a dor que sente, por ver a vida passar por entre os dedos.Quantos apenas vêem o abismo à sua frente e não percebem que têm asas para voar. Asas tolhidas pela ignorância, agrilhoadas pelo deixa andar que um dia vai mudar.A existência passa e quando a senhora da foice chega já é demasiado tarde para despertar e correr para os braços da profunda realização.Mata a zona de conforto e vem comigo, não vai ser fácil, mas vai ser muito gratificante. E na caminhada sorrimos como se a meta fosse apenas mais uma etapa.

Mike, o galo sem cabeça

Quantos tempo conseguirá uma galinha viver sem cabeça?
Se me fizessem essa pergunta há uma semana responderia, sem sombra de dúvidas: uns minutos, no máximo. Contudo, ao saber do que se passou no Colorado, EUA, em 1945, faz com que hoje tenha opinião diferente.
Nesse ano longínquo, Lloyd Olsen na tentativa de matar um jovem galo para o jantar não cumpriu na perfeição o serviço e o galo sobreviveu, pasme-se: sem cabeça.
A veia jugular e o troco cerebral não foram danificados o que permitiu ao bicho sobreviver.
Artigos sobre o tema foram publicados nas revistas Time e Life, e hoje em dia existem vários sites que atestam este fenómeno, como pode ver no fim deste post.
O dono do "afortunado" galináceo, com olho para o negócio, não perdeu tempo e passou a cobrar 25 cêntimos para quem quisesse ver Mike, nome que lhe fora atribuído.
Os espectáculos de rua sucediam-se e no auge do sucesso Mike ganhava 4.500 dólares por mês e valia 10.000.
Seguiu-se uma fase negra para o mundo aviário, pois…